quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Espelho: Como surgiu o glamour das bolsas

Por que nós amamos bolsas?

Por que as bolsas são objetos tão irresistíveis, quase um ser único no mundo? Por que nos sentimos tão poderosas quando estamos portando um lindo exemplar?

Uma bolsa é, na verdade, uma extensão da própria pessoa. Ela não só guarda suas coisas, tornando seu deslocamento mais prático, ela oculta seus segredos. Uma bolsa é uma “casa para a vida agitada”.

Desde o dia em que Grece Kelly, em 1956, apareceu na capa da revista Life com uma bolsa Hermès em frente ao corpo para ocultar uma gravidez, o modelo já suscitou uma fantasia coletiva: uma bolsa pode torná-la uma diva! Sim, ela tem o poder de transformar uma plebéia em uma princesa.



Trata-se de um objeto com verdadeira carga erótica e transgressora. Afinal, seu interior é extremamente íntimo. É tão interessante pensar sobre o que deve ter dentro das bolsas das pessoas, não é mesmo?


Vamos conhecer um pouco da história das bolsas?


A verdade – e a parte que eu mais gosto – é que não se pode falar da história das bolsas sem fazer referência à emancipação das mulheres. Afinal, quem é que precisava depender de um marido quando a bolsa Lanterne, de Elsa Schiaparelli (1938), podia conter cigarros, maquiagem, chaves, dinheiro e ainda uma lanterna?





Em seu princípio, uma bolsa não foi feita para ser sinônimo de status ou poder, mas sim para servir de porta moedas durante as longas caminhadas.

O primeiro modelo que a história registra é um simples saco feito de peles de animais, do século V, proveniente da Cítia, uma região na Eurásia, habitada na antiguidade por um grupo de povos iranianos. Era uma bolsinha pendurada à cintura, utilizada tanto por homens, como por mulheres.



Somente entre os séculos XIII a XVI que as bolsas passaram a ter uma armação metálica, aumentando o tamanho e o volume da bolsa, mas ainda era usada pendurada na cintura, e ficavam muito elegantes sobre os corpetes ornamentados das mulheres.

Foi na idade média que as bolsas começaram a se distinguir em masculinas ou femininas pelo estilo ou pelos seus enfeites.  Nessa época, apenas as bolsinhas pequenas eram consideradas elegantes. As bolsas maiores a tiracolo eram utilizadas apenas por camponeses para o trabalho.

Já no século XVI, quando as saias se tornaram mais volumosas, as mulheres começaram a esconder seus objetos pessoais entre as pregas do vestido, em bolsos costurados ao tecido. Afinal, havia pano suficiente para esconderem o que quisessem naquelas roupas. Quanto mais tecido e ornamentos, mais glamour.



E no século XVII, afinal, tiveram a grande idéia de confeccionar bonitas bolsas em forma de pêra, não mais costuradas ao vestido, mas ainda atadas à cintura.



É neste momento na história, em Paris, por volta do ano 1790, que os vestidos imperiais abriram caminho à moda para as bolsas. A solução encontrada hoje nos parece ridiculamente simples: colocou-se uma pequena alça nas bolsinhas, como um cordão, para que pudessem ser levadas nas mãos.

Essas bolsinhas, por incrível que nos pareça, foram ridicularizadas, pois ainda eram associadas a anáguas ou “roupas de baixo”. Somente por volta de 1805, quando cessaram as piadas, as mulheres começaram – e nunca mais pararam – a usar sua bolsa sempre que saíssem de casa, o que tornou a bolsa um acessório exclusivamente feminino, deixando os homens apenas com as mãos nos bolsos.

A primeira bolsa genuína, resistente para viajar, veio somente mais tarde, na década de 60 do século XIX. Ela era pequenina e tinha uma armação metálica, com fecho a chave, e um bolsinho interior para o bilhete. Não é um luxo, gente? Pela primeira vez, as mulheres podiam levar seus objetos bem ocultos de olhares curiosos.  Isso é que eu chamo de evolução!

E assim, é claro que os homens, que até então carregavam o dinheiro e o leque da esposa, foram PERFEITAMENTE SUBSTITUÍDOS por essas bolsinhas, ainda mais confiáveis e já bem mais aperfeiçoadas.

E é por isso que seu marido realmente não entende porque você precisa ter tantas bolsas... e nunca, jamais, sair sem ela!

A forma como a mulher vem transportando seus pertences ao longo do tempo está intimamente relacionada com a forma que dirige sua própria vida.

Gostou desse assunto? Saiba que ele está só começando...

9 comentários:

  1. Adoreiii!! Adoro bolsa.. pena q n to podendo comprar as glamurosas.. tipo a Hermes, fui modesta ehennn..
    Lu.. na discovery passa uns documentários mto interessante sobre moda, assisti um sobre as malas.. a tão cobiçada Louis Viton..
    Beijos..
    Tati Bragagnolo

    ResponderExcluir
  2. Eu amei, eu adoro bolso, e minha filhinha ja ta indo pro mesmo caminho.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Tati! Eu já vi esse documentário da LV que mostra que tudo começou com aqueles grandes baús que as pessoas chiques da época usavam para transportar suas coisas em longas viagens de navio... e os monogramas eram pintados à mão! Incrível!

    Leila, vc já contagiou sua filha? kkkk Não tem jeito, filha de peixe...

    Bjs
    Lu

    ResponderExcluir
  4. Gostei do post, aprendi bastante.
    Acho que vc se interessaria pelo código dos leques, postei sobre isso há algum tempo, depois de ver uma exposição muito bacana no museu imperial...deve ter algo no site deles.

    Eu adoro bolsas, mas confesso pra vc que sou megasuperhiper anti griffe. Não apenas porque não tenho money pra isso - não tenho grana pra outras coisa e as desejo..rs - mas porque implico em atribuir valor a algo que não sei porque foi agregado ao objeto.


    beijocas.

    ResponderExcluir
  5. Oi Paulo, obrigada - sabe que eu me lembrei de vc qdo fiz este post? Que legal que gostou!

    Vivien, eu também não valorizava muito essa coisa de objetos ostensivos demais, pelas marcas... mas lendo um pouco mais sobre o assunto, comecei a entender mais o valor que esses produtos tem. Uma Hermes, por exemplo, é inteirinha feita à mão. O couro é todo costurado por um artesão, e ela tem acabamento por dentro idêntico ao de fora. Achei isso bem legal.
    Vou dar uma olhadinha nesse código de leques, valeu pela dica.

    Bjs
    Lu

    ResponderExcluir
  6. Ciana - http://mulheresqueusam.blogspot.com/6 de setembro de 2011 13:22

    Nossa! Que legal este post sobre as bolsas!!
    Vou voltar mais vezes pra ler teu Blog. Eu adorei de cara! Neste exato momento estou com pressa, mas vou voltar mais tarde pra terminar de ler o Blog todo.. kk.

    Muito obrigada por participar de meu Blog.
    Podemos sim linkar os Blogs!! Muito legal.

    Qualquer coisa, entra em contato pelo meu e-mail.
    (vou te mandar no próximo recado, depois apaga, ta?!
    Abraço... e até depois.

    Ciana
    http://mulheresqueusam.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Ciana - http://mulheresqueusam.blogspot.com/6 de setembro de 2011 13:22

    cianai@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Luciana! Que post legal! Parabéns pelo blog :)
    Chamo-me Vitoria e faço parte da equipe Atelier Decor. Da uma passadinha lá. Acho que você vai gostar.
    beijos
    Atelier Decor¨{Vitoria Vaz}

    ResponderExcluir